dezembro 2012 – Widoctor

Archive dezembro 2012

Ajuste da Corticoterapia Inalatória em Pacientes Asmáticos

Não existe atualmente um consenso bem definido para o ajuste da terapêutica com corticosteroide inalatório em pacientes com asma. Os ajustes podem ser baseados de três formas: em visitas ambulatoriais, estas guiadas pela avaliação médica (sintomas, terapias de resgate, função pulmonar), com base na mensuração de óxido nítrico exalado ou baseado nos sintomas do dia-a-dia.  Esse estudo procurou demonstrar se esses dois últimos métodos são superiores que o primeiro em pacientes com asma leve a moderada. O resultado foi medido através do tempo que se levou para que ocorresse uma falha terapêutica. Entre adultos com asma ligeira a moderada, controlada com baixa dose de corticoide inalatório, os ajustes baseados tanto pelo biomarcador quanto pelos sintomas do dia-a-dia não foi superior aos ajustes baseados pela avaliação médica ambulatorial no que tange ao momento da falha do tratamento.

Comparison of physician-, biomarker-, and symptom-based strategies for adjustment of inhaled corticosteroid therapy in adults with asthma: the BASALT randomized controlled trial. Asthma Clinical Research Network of the National Heart, Lung, and Blood Institute NCT00495157.

Hipertensão Sistólica Isolada em Pacientes Idosos

Essa revisão vai abordar o tratamento da hipertensão sistólica isolada, um dos maiores problemas de saúde pública, que é a hipertensão sistólica, que vem aumentando a prevalência principalmente com o envelhecimento da nossa sociedade. A elevação da pressão sistólica está mais associada a morbidades e mortalidades do que a hipertensão diastólica, e possui em seu mecanismo principal o aumento da rigidez na parede das artérias, principalmente as de grande calibre. Sempre o começo da abordagem deve ser feita de maneira não farmacológica, com mudança do estilo de vida, porém, quando isso não é eficaz, medidas farmacológicas devem ser instauradas. Um estudo, chamado HYVET forneceu dados de que em hipertensos bem idosos, abaixar a pressão para níveis de até 150×80 mmHg é bastante eficaz.

A terapia anti-hipertensiva tem que ser adaptada, principalmente em idosos, por causa de muitas morbidades que essa faixa etária apresenta, como por exemplo: doença coronariana, insuficiência cardíaca e renal, além de diabetes. Inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECAs) ou bloqueadores do receptor de angiotensina II (BRAII) devem ser considerados associados a diuréticos ou bloqueadores do canal de cálcio diidropiridinicos (amlodipina ou nifedipina por exemplo). Os B-bloqueadores tem menos efeitos protetores contra doenças cardiovasculares em relação a essas outras drogas.

Treatment of isolated systolic hypertension in the elderly; Duprez D; Expert Review of Cardiovascular Therapy 10 (11), 1367-73 (Nov 2012) PMID: 23244357

Anticorpo contra PCSK9: uma nova arma contra níveis elevados de LDL

Esse artigo é bastante interessante, porque nele é demonstrado resultados de uma nova molécula ainda em fase 2 de estudo, chamada de REGN727/SAR236553 (que iremos abreviar somente para SAR durante o texto). Essa molécula é um anticorpo contra uma proteína chamada de PCSK9 (Proprotein Convertase Subtilisin/Kexin 9), e esta por sua vez é responsável por reduzir a capacidade de retirar LDL da circulação, pois se liga aos receptores de LDL, aumentando sua degradação. Logo, por bloquear o efeito da PCSK9, a SAR aumenta a disponibilidade de receptores de LDL e consequentemente reduz os níveis de LDL colesterol no sangue.

Ler mais