Neurologia: Boa Escolha ?

Neurologia: Boa Escolha ?

Pergunta: Romário Cosmo ( Universidade Estadual do Piauí )

Estou no sexto ano do curso, mas ainda tenho muitas dúvidas com relação à escolha da especialidade. Tenho pensado em 3 especialidades totalmente diferentes: Cardiologia, Cirurgia vascular e neurologia. Tenho dado preferencia à neurologia, principalmente pelo fato de ser uma especialidade de acesso direto. Gostaria de saber como está o mercado para neurologista e quais as doenças que mais fazem parte do dia-a-dia do neurologista. Pelo que tenho observado, cefaleia tem sido a principal causa de procura aos neurologistas. Com relação às outras duas especialidades (cardio e vascular) estou um pouco desanimado pelo fato de exigirem pré-requisito. Será que vale a pena fazer neurologia em detrimento de uma dessas duas?

Pergunta: Romário Cosmo ( Universidade Estadual do Piauí )

Estou no sexto ano do curso, mas ainda tenho muitas dúvidas com relação à escolha da especialidade. Tenho pensado em 3 especialidades totalmente diferentes: Cardiologia, Cirurgia vascular e neurologia. Tenho dado preferencia à neurologia, principalmente pelo fato de ser uma especialidade de acesso direto. Gostaria de saber como está o mercado para neurologista e quais as doenças que mais fazem parte do dia-a-dia do neurologista. Pelo que tenho observado, cefaleia tem sido a principal causa de procura aos neurologistas. Com relação às outras duas especialidades (cardio e vascular) estou um pouco desanimado pelo fato de exigirem pré-requisito. Será que vale a pena fazer neurologia em detrimento de uma dessas duas?

Resposta :

O tempo de formação ( residência com pré requisito ou não ) não deve ser o fator mais importante na escolha da especialidade. Esse tempo, na verdade, não é tempo gasto; é investimento.

Na escolha da especialidade, devemos levar em consideração basicamente 3 aspectos :

  1. Que qualidade de vida essa especialidade me permite ?
  2. Quais são as possibilidades de ser bem remunerado ?
  3. Que tipo de paciente vou atender ?

A terceira pergunta deve ser fundamental na sua escolha, já que vai lidar com esse tipo de paciente por muitos anos, sendo importante que esse contato seja confortável para você.

Numa fase inicial, a escolha precisa apenas recair em :

1.Uma especialidade cirúrgica – aí vai ter que passar primeiro na cirurgia geral.

    2.Uma especialidade clínica – aí vai precisar, primeiramente, passar pela residência de clínica médica.

3.Uma especialidade de acesso direto- aí precisa conhecer bem essas possibilidades, ou seja quais são as características de : otorrino, oftalmo, ortopedia, radiologia, dermatologia,pediatria, neurocirurgia…

Assim, sugiro que vc faça o teste vocacional de nosso site e analise com atenção as 5 primeiras especialidades apontadas no teste.

De qq modo, algumas informações  sobre as especialidades citadas por vc, podem ser úteis.:

A neurologia é especialidade de acesso direto com duração de 3 anos na residência médica. Embora existam cursos de pós graduação, a recomendação é que seja dado preferência aos programas de residência, onde a parte prática é maior.

Na neurologia o mercado é carente de profissionais. O envelhecimento da população é um fator facilitador no aumento da clientela. Os pacientes criam grande dependência com seu neurologista o que gera fidelidade da clientela. A qualidade de vida do profissional é razoável , mas é uma especialidade um pouco triste. Os ganhos financeiros podem ser bons se vc somente atender pacientes particulares. Se for trabalhar com convênios, vale a pena se especializar em alguns exames complementares como polissonografia, EEG, potencial evocado…

Na neurologia, muitas vezes, os diagnósticos sao de patologias graves, como tumores, doenças degenerativas como ELA e esclerose múltipla , o que exige uma estrutura pessoal forte por parte do profissional , o que não significa que não poderá ter uma boa qualidade de vida. Desde que vc trabalhe em equipe com um bom clínico geral, vc poderá ter boa qualidade de vida.

Um Mercado promisssor para o neurologista e que tende a se expandir rapidamente é o de casas de repouso ou centros de convivência para idosos.

Outra possível área de atuação e ainda pouco explorada é o tratamento da dor, área essa que também pode ser explorada pelos ortopedistas e pelos anestesistas.

A remuneração do neuro pode variar muito de acordo com o tipo de atividade que ele exerça. Por exemplo, se ele tiver um consultório próprio, onde ele trabalhe 4 tardes por semana e atenda a somente 5 pacientes particulares por tarde, mesmo não realizando nenhum exame complementar no consultório, e cobrando uma consulta a R$ 400,00, no final do mês terá um ganho de R$ 34.000,00. Fora isso, ele geralmente terá um emprego em um hospital, onde ganhará mais R$ 6.000,00 a 10.000,00 mensais e ainda poderá ter alguma consultas em residência, onde ele cobrará cerca de R$ 700,00 por cada consulta.

Uma outra possibilidade para o neurologista é a neurologia intervencionista, onde esse especialista pode atuar no :

Tratamento das Estenoses Arteriais na Circulação Extracraniana

Tratamento das Estenoses Arteriais na Circulação Intracraniana

Tratamento de Tumores da Cabeça, Pescoço e da Coluna Espinal

Tratamento Percutâneo das Fraturas dos Corpos Vertebrais por Osteoporose ou por Tumores-Vertebroplastia

Tratamento das Malformações Vasculares, Fístulas Artério Venosas e do Trauma Vascular

Tratamento de Hemorragias por Cateter

Tratamento Percutâneo da Isquemia Cerebral

Essas áreas, na verdade, são “sem dono”, podendo ser exercidas também pelo radiologista intervencionista ou pelo neurocirurgião.

A residência médica que existe nessa área é de radiologia intervencionista e não de neuroradiologia intervencionista e tem duração de 2 anos, tendo como pré requisito a residência anterior nas áreas específicas .

A formação de um Neurorradiologista Intervencionista não se resume ao aprendizado de manipulação de cateteres e materiais mas deve incluir sólida formação e experiência em neurologia clínica, neurorradiologia diagnóstica, clínica neurocirúrgica e sobretudo o hábito de trabalhar em multidisciplinaridade, já que muitos casos irão requerer o trabalho conjunto de colegas de outras especialidade

A residência em cardiologia exige como pré-requisito 2 anos de residência em clinica médica e tem a duração de 2 anos ( dando um total de 4 anos).

A residência em hemodinâmica exige como pré-requisito 2 anos de residência em cardiologia e tem a duração de 1 ano ( dando um total de 5 anos).

A clínica cardiológica permite poucos procedimentos que agreguem valor às consultas, a não ser que vc se especialize em hemodinâmica.

Embora existam procedimentos diagnósticos que possam melhorar o rendimento do cardiologista, os planos de saúde não permitem que esse profissional realize esses exames no próprio consultório (apenas permitem o ECG, pagando cerca de R$15,00), assim é interessante para o cardiologista aprender a realizar esses exames, mas terá que fazê-los em alguma outra clínica especializada nesses tipos de procedimentos diagnósticos.

Uma área interessante de trabalho para o Cardiologista é a terapia intensiva (é necessário se especializar nisso após a residência de cardio), onde um plantonista ganha de 6.000,00 a 10.000,00 por mês trabalhando um plantão de 24 h semanal-estes valores variam conforme o Estado.

Posteriormente, o plant
onista de UTI pode passar a exercer a chefia do serviço, com um salário entre 12.000,00 e 20.000,00.

Embora a clientela particular de consultório demore a aumentar, se o cardiologista atender apenas 4 pacientes particulares por dia, cobrando 400,00 a consulta e trabalhando no consultório apenas 4 dias da semana, somente de pacientes particulares ele vai gerar um faturamento mensal de R$ 25.600,00.

Se vc optar pela cirurgia, quando estiver fazendo os dois anos obrigatórios de cirurgia geral, vai poder entrar em contato com as várias opções de sub especialidades cirúrgicas e consequentemente fazer uma escolha mais adequada.

De qualquer modo, esclarecendo sua dúvida, a cirurgia vascular e a cirurgia cardiovascular são especialidades diferentes. Na vascular a formação exige 2 anos de cirurgia geral e mais 2 anos de vascular. 

Na cirurgia cardiovascular são exigidos 2 anos de cirurgia geral mais 4 anos de cardiovascular.

A cirurgia vascular é ótima especialidade, a clientela cresce rapidamente, principalmente pelas insuficiências vasculares periféricas (varizes), que são muito freqüentes na população.

A especialidade permite procedimentos pequenos e médios , que agregam valor no preço das consultas e a qualidade de vida do profissional é boa porque a maioria das cirurgias são eletivas.

A competição dos hemodinamicistas ou cardiologistas intervencionistas é mais com a cirurgia cardiovascular e não com a cirurgia vascular.

Não acreditamos que as atribuições do cirurgião vascular possam diminuir ao longo do tempo.

Sucesso

Mário Novais

Mario Novais

Você deve estar logado para postar um comentário