Médicos, Pacientes e Justiça

Médicos, Pacientes e Justiça

Médicos, Pacientes e Justiça

De acordo com o livro “Blink”, cujo autor é o americano Malcon Gadwell, as causas de os médicos serem processados ou não nos EUA seguem um padrão.
De forma resumida, 7 pontos foram destacados pelo livro:
1 – Os médicos que possuem boa relação com o paciente não são processados;
2 – Muitos dos processos ocorrem a partir de um mau tratamento oferecido pelo médico, e não por erro do profissional;
3 – Dificilmente médicos são processados por pacientes quando seus atendimentos englobam humanidade, respeito e dignidade;
4 – Por mais que o tempo de atendimento médico seja importante – diminuem os riscos de processo – o mais importante é a qualidade do tempo de serviço prestado. Uma consulta de 15 minutos pode ser muito mais produtiva do que uma consulta de 1 hora de duração;
5 – Em muitos casos, os especialistas mais bem qualificados e os mais arrogantes são mais processados;
6 – Os médicos que mais orientam e fazem escuta ativa do paciente são menos processados;
7 – Uso de comportamento com gestos autoritários – como voz elevada – aumenta as chances do médico ser processado.
Nesse contexto, o livro permitiu demonstrar que determinadas características ligadas à rotina do profissional favorecem ou não a ocorrência de processos médicos. Geralmente, o processo não se liga ao erro médico ou à sua negligência, mas, sobretudo, à forma como o médico se relacionou com o paciente.
Fonte: Livro Blink
Autor: Rafael Kader

Yan Carvalho

Você deve estar logado para postar um comentário