Sub Especialidades Cirúrgicas

Sub Especialidades Cirúrgicas

Sub Especialidades Cirúrgicas

Pergunta : Weber ( Hospital Universitário Getulio Vargas – Amazonas )
Olá Dr Mario. Tenho 31 anos, sou dentista e atualmente estou cursando o primeiro ano de Cirurgia Geral. Estou com duvida sobre qual subespecialidade seguir. Até agora as que me interessam são: Urologia, Vascular, Cir Plastica e Cir de Cabeça e Pescoço. Penso em fazer Plastica ou Cabeça e Pescoço para me especializar em Craniomaxilofacial ( área de atuação da Otorrino, Plastica e Cabeça e Pescoço) e assim agregar o conhecimento e o mercado da Odontologia. Gostei também da Urologia e Vascular, porém tenho um pouco de receio de abandonar a minha primeira formação, mesmo sabendo que não atuo nela há quase 4 anos. Gostaria de saber sua opinião sobre qual dessas áreas tem melhor perspectiva de mercado para o futuro e que poderia me dar um melhor retorno financeiro e boa qualidade de vida. Você acha que seria uma boa ideia fazer Craniomaxilofacial? Obrigado!
Resposta :
Se optar pela cirurgia de cabeça e pescoço ou otorrino vai poder aproveitar conhecimentos da antiga profissão, embora nada impeça que mude completamente de área.
A escolha da sub especialidade cirúrgica deve ser feita lá pelo final do R2 de cirurgia geral, pois já vai ter tido mais contato com os diferentes tipos de pacientes e de patologias cirúrgicas e ver em qual das sub especialidades vai se sentir mais confortável no seu dia a dia.
Em termos de retorno financeiro e qualidade de vida, das especialidades citadas por vc, otorrino, vascular e urologia estariam mais indicadas.
Mais algumas informações podem te ajudar na escolha :
De um modo geral, a especialidade cirurgia de cabeça e e pescoço está ligada aos departamentos de otorrinolaringologia.
A residência médica nessa área tem a duração de 2 anos com pré requisito de 2 anos de cirurgia geral ou de otorrino ( a possibilidade de pré requisito de otorrino é recente )
A cirurgia de cabeça e pescoço é uma especialidade ímpar que exige dos cirurgiões que a praticam, sólidos conhecimentos em cirurgia geral, plástica reparadora, cirurgia oncológica e ortopédica. Além disso, o fato do câncer do trato aero-digestório superior representar um percentual significativo das doenças da cabeça e pescoço exige, do especialista nesta área, conhecimentos em oncologia clínica e radioterapia. O intercâmbio com os diferentes especialistas da área médica (em especial, neurocirurgia, otorrinolaringologia, cirurgia plástica, cirurgia do aparelho digestório, bucomaxilofacial, anestesiologia e terapia intensiva) é fundamental para a consecução de bons resultados. Também é de fundamental importância à inter-relação com outros profissionais, em especial a enfermagem, fonoaudiologia, psicologia, nutrição, fisioterapia, odontologia e prótese bucomaxilofacial.
Os programas de residência nessa especialidade consistem de participação nos ambulatórios específicos, onde além de aprenderem noções básicas sobre o exame otorrinolaringológico completo, principais afecções de cabeça e pescoço, propedêutica, diagnósticos, diagnósticos diferenciais e tratamentos propostos, discutem casos com os preceptores do dia, fazem procedimentos como biópsia, punção, drenagem de abscessos, troca de cânulas de traqueostomia, além de exames complementares como nasofibrolaringoscopia e laringoscopia direta.
Mais frequentemente nessa especialidade vc vai lidar com:
Oncologia cirúrgica de Cabeça e Pescoço. Tratamento de tumores benignos e malignos da glândula tireóide e das glândulas salivares. Sialoendoscopia. Tratamento de tumores congênitos de Cabeça e Pescoço. Tratamento de tumores de pele. Tratamento dos tumores de base de crânio. Cirurgia robótica de tumores de orofaringe
O Mercado é carente de bons profissionais, que precisam ter uma boa habilidade manual e como alguma cirurgias de cabeça e pescoço são também realizadas por neurocirurgiões, cirurgiões bucp-maxilo e otorrinos, o profissional dessa área leva um tempo maior para se estabelecer na especialidade.
A cirurgia vascular é ótima especialidade, a clientela cresce rapidamente, principalmente pelas insuficiências vasculares periféricas (varizes), que são muito frequentes na população.
A especialidade permite procedimentos pequenos e médios , que agregam valor no preço das consultas e a qualidade de vida do profissional é boa porque a maioria das cirurgias são eletivas.
A competição dos hemodinamicistas ou cardiologistas intervencionistas é mais com a cirurgia cardiovascular e não com a cirurgia vascular.
Não acreditamos que as atribuições do cirurgião vascular possam diminuir ao longo do tempo.
A urologia é uma das melhores especialidades cirúrgicas em função da população estar envelhecendo e da importância que se tem dado recentemente à prevenção do câncer de próstata, além dos novos medicamentos para disfunção erétil, o que faz aumentar rapidamente a clientela do urologista. Além disso, a especialidade abrange vários procedimentos diagnósticos e terapêuticos (endoscopias principalmente) e cirurgias que agregam valor à consulta do urologista. A qualidade de vida é boa já que a maioria das cirurgias é eletiva e os ganhos financeiros são bons.
Sucesso
Mário Novais

Mario Novais

Você deve estar logado para postar um comentário