Residência nos Estados Unidos: Passos Para Revalidação do Diploma e Acesso

Residência nos Estados Unidos: Passos Para Revalidação do Diploma e Acesso

Residência nos Estados Unidos: Passos Para Revalidação do Diploma e Acesso

Um dos destinos mais cobiçados por médicos brasileiros para fazer a residência e/ou praticar a medicina são os Estados Unidos. Por isso é também um dos que tem o processo de revalidação mais complicado. A seguir traremos os passos simplificados para esclarecer dúvidas frequentes e auxiliar interessados a buscar o caminho certeiro para alcançar o sucesso na aplicação.

 

Etapas:

 

A primeira parte é a burocrática junto ao ECFMG (Educational Comission for Foreign Medical Graduates) e consiste em provar que a identidade do candidato é real e que estudou onde estudou. Uma vez vencido esse passo, o candidato está apto para agendar as provas.

 

Logo depois, é necessário fazer três provas, os USMLE Steps. Os graduandos de medicina dos EUA fazem essas provas ao longo da faculdade como processo obrigatório para aplicar na residência médica. O que fazemos é igual ao que eles fazem.

 

As provas são: Step 1 (conhecimentos equivalentes ao ciclo básico); Step 2 Clinial Knowledge (prova similar às nossas de residência);  Step 2 Clinical Skills (prova prática clínica). Após o candidato ser aprovado em todas, está pronto para aplicar para a especialização desejada.

 

Período de prestar as provas:

 

Alguns contextos devem ser levados em consideração. A maioria dos casos de aplicação para as provas caem em dois cenários: Terminar a faculdade e já ingressar logo em seguida em uma residência médica nos EUA, ou terminar a residência no Brasil e aplicar para um Fellowship de 1 a 2 anos lá fora.

 

Se o objetivo for o de ir direto para a residência fora, é melhor seguir os moldes de quem está fazendo a graduação lá. Geralmente prestam o Step 1 no segundo ano de Med School, mais ou menos equivalente ao nosso terceiro ou quarto ano da faculdade. Esse período é o ideal porque a prova consiste em conhecimentos equivalentes ao nosso ciclo básico. Ou seja, escolhendo fazer a prova antes do terceiro ano, o conteúdo todo pode não ter sido visto ainda. Por outro lado, se deixada para fazer muito depois do nosso terceiro ano, teria interferência com o internato,  além do conhecimento de bioquímica&CIA ficar cada vez mais distante.

Se essa for a opção escolhida, deve-se tirar uma nota alta, especialmente no Step 1, para competir entre as melhores universidades.

 

Se o objetivo for fazer um Fellowship, a prova pode ser prestada assim que essa escolha for feita. O processo é longo e difícil e o trabalho duro não deve ser postergado. Por outro lado, nessa modalidade as notas não são tão essenciais. Boas cartas de recomendação e currículo contam mais. Vale lembrar que se o objetivo for morar nos Estados Unidos definitivamente, essa não é a melhor opção. O livre exercício da medicina lá só ocorre com a revalidação do diploma e residência médica dentro do país. É possível morar lá sem fazer a residência, mas é necessário já ter um vinculo com algum hospital, consciente de que este hospital será seu único local de atuação e que assim que esse vinculo chegar a um fim você será convidado a retornar ao Brasil.

 

Burocracias:

 

O Candidato deverá inicialmente se cadastrar no ECFMG. Dentro dele, os passos são tomados pelos serviços online, cujo sistema é chamado OASIS. Através dele, você preenche uma Application para cada Step e tem que pagar uma taxa –generosa – para um, além de receber uma grande lista de documentos necessários para efetivar sua candidatura. Para que as provas possam ser marcadas, toda a documentação tem que estar correta e ser verificada pelo órgão, algo que demora cerca de um mês a partir do momento que eles recebem lá.

Uma vez todos os documentos aceitos e taxas pagas, as provas podem ser agendadas. Você escolhe um 3-month period para as duas provas testes já no momento da Application inicial e depois escolhe o dia exato da prova pelo site do órgão que terceiriza a prova aqui no Brasil, o Prometric. As duas provas testes podem ser feitas no Brasil mediante taxa de $150,00. A prática tem que ser feita em uma das cinco cidades elegíveis dos EUA: Los Angeles, Houston, Atlanta, Chicago e Filadelfia. As vagas são bem limitadas, então o agendamento deve ser feito assim que possível (ele pode ser remarcado sem custo adicional se feito com mais de 15 dias de antecedência).

 

 

 

STEP 1:

 

É a prova mais difícil. Não só pelo conteúdo, que é mais abrangente do que o que é dado no currículo brasileiro, mas pela necessidade de notas altas. Quanto mais fresco o conteúdo da faculdade estiver, melhor o momento para fazer. Mas o estudo deve ser intenso e focado para os moldes da prova deles.

A prova consiste de 7 blocos de 1 hora, com 46 testes cada. O candidato tem 1 hora de intervalo que pode dispor como quiser ao longo das 8 horas totais. É um grande teste de resistência, de concentração e resiliência.  Importante fazer bem descansado, com boa hidratação e comida leve ao longo do dia.

Existem cursinhos americanos para auxiliar os estudos. Os mais famosos são o Kaplan e o First Aid.

Existem também alguns simuladores de provas, como o USMLE World.

É possível agendar um simulado oficial, no mesmo lugar onde será feita a prova, pagando uma taxa.

Para a realização da prova, é necessário RG, papel de identificação do ECFMG, comidas leves. Não precisa de caneta.

 

Step 2 CK

 

Para quem se preparou para prestar uma prova de residência no Brasil, essa parte é mais simples. É semelhante em conteúdo e não cobra muitas notas de rodapé.

A prova consiste em 8 blocos de 1 hora, com 44 testes cada um. Novamente você tem 1 hora de intervalo para dispor como quiser ao longo das 9 horas totais.

Pode-se estudar fazendo as questões do USMLE World e também utilizar o Kaplan e First Aid como material didático.

Levar para a prova os mesmos materiais do Step 1.

 

Step 2 CS:

 

É a prova prática. Não há um resultado quantitativo, apenas Fail ou Pass. Por essa razão, sua aprovação só tem a finalidade de habilitar o médico e não a de classificar.

Deve-se levar para essa prova jaleco e estetoscópio. Não é necessário caneta, comida, prancheta e instrumentos de propedêutica. Tudo é disponibilizado lá.

 

Quando todas as provas forem finalizadas, o ECFMG emite um certificado e envia para o Brasil. Porém, basta o seu número de inscrição para a maioria dos processos internos, pois os dados ficam disponíveis online.

 

Uma vez aprovado nos Steps e com um vinculo com um hospital já estabelecido, ainda será necessário uma permissão do estado (equivalente ao nosso CRM) e do visto americano (de estudante ou trabalhador temporário). O processo para ambos só pode ser iniciado após a aprovação nos Steps e também exigem uma documentação específica e taxas. Os hospitais geralmente ajudam nessas etapas e até cobrem algumas taxas.

 

É necessário, ainda, um Official Transcript do ECFMG para os hospitais que estão sendo contemplados. Há um formulário para solicitação, que custa $60,00 e dá direito ao envio de 10 cópias para endereços da escolha do candidato.

 

Concluindo, as provas são difíceis e trabalhosas, mas a formação no Brasil é geralmente muito boa e equivalente à dos EUA, o que torna bem possível, com certo esforço, alcançar a validação.

 

Fonte: Academia Médica

Guilherme França

Os comentários estão fechados.