Especialidade Emergência Médica

Especialidade Emergência Médica

Pergunta : Yago ( Multivix – Vitória – ES )
Olá, gostaria de saber qual sua opinião sobre a Residência de Medicina de Emergência, uma novidade em nosso país. Qual a expectativa de mercado nos próximos anos? Vantagens e desvantagens? Estava decido em fazer Clinica médica e cardiologia, mas vejo o mercado cada vez mais saturado, algo novo em uma área que gosto possa ser interessante. Obrigado e parabéns pelo belo trabalho do site.

Resposta :

A especialidade emergência recém foi reconhecida pelo CFM como especialidade médica e os programas ainda estão em organização, mas de um modo geral são baseados em alguns já existentes, como esse abaixo da UNIFESP :
O Programa foi credenciado pela Comissão Nacional de Residência Médica em 26/01/2016 sob o nº de Parecer 274/2016, iniciará com 9 vagas para acesso direto. O objetivo da residência é formar médicos para atender as principais emergências médicas, O programa será de 3 anos onde ele passará por diversos estágios, como: Emergências Clínicas, Cirúrgicas, Cardiológicas, Psiquiátricas, Neurológicas, Ortopédicas, ginecológicas e Obstétricas, estágio de Otorrinolaringologia, Oftalmologia, Terapia Intensiva, Cuidados Paliativos, Simulação, Gestão em Saúde, Atendimento Pré-Hospitalar, Regulação do sistema de emergência, Centro de Toxicologia e Optativos.
O Programa de Residência terá um programa teórico com formação em medicina baseada em evidências com curso de simulação realística, ensinamentos de emergências, curso de ultrassonografia em emergências. Além disso, o aluno terá a possibilidade de ingressar no Mestrado Profissional Associada à Residência Médica – MEPAREM.

Como a emergência somente foi reconhecida como especialidade médica bem recentemente e por isso o mercado de trabalho ainda não beneficia os que optarem por essa especialidade, já que no momento a maioria dos postos de trabalho em serviços de emergência é ocupada por médicos recém formados.
As perspectivas para essa especialidade são boas, porém a médio e longo prazo.
O emergencista precisa gostar de trabalhar sob pressão, com alto índice de estresse e a evolução dentro da especialidade vai ser a de trabalhar como plantonista , podendo posteriormente passar a exercer a função de chefe da emergência.

Sucesso

Mário Novais

widoctor

Os comentários estão fechados.