Estudo indica que colesterol do ovo acarreta em maior risco de doenças cardiovasculares – Widoctor

Estudo indica que colesterol do ovo acarreta em maior risco de doenças cardiovasculares

Estudo indica que colesterol do ovo acarreta em maior risco de doenças cardiovasculares

Estudo indica que colesterol do ovo acarreta em maior risco de doenças cardiovasculares

colesterol é um nutriente comum na dieta humana e os ovos são uma fonte importante de colesterol. A discussão a respeito do colesterol na dieta ou o consumo de ovos estarem associados a doenças cardiovasculares (DCV) e à mortalidade por todas as causas permanece controversa.

Para determinar se de fato há esta associação, foi realizado um estudo publicado pelo periódico The Journal of the American Medical Association (JAMA).

Os dados individuais dos participantes foram agrupados a partir de 6 coortes prospectivas dos EUA usando dados coletados entre 25 de março de 1985 e 31 de agosto de 2016. Os dados da dieta autor referidos foram harmonizados usando um protocolo padronizado.

Foram analisados o colesterol na dieta (mg/dia) e/ou o consumo de ovos (número/dia) para avaliar a razão de riscos (HR) e a diferença de risco absoluto (ARD), durante todo o acompanhamento, para DCV incidente (composto por doença coronariana fatal e não fatal, acidente vascular cerebralinsuficiência cardíaca e outras mortes por DCV) e mortalidade por todas as causas, realizando os ajustes para fatores demográficos, socioeconômicos e comportamentais.

A análise incluiu 29.615 participantes (média [SD] idade, 51,6 [13,5] anos no início do estudo), dos quais 13.299 (44,9%) eram homens e 9.204 (31,1%) eram negros. Durante um acompanhamento médio de 17,5 anos (intervalo interquartílico, 13,0-21,7; máximo, 31,3), houve 5.400 eventos de DCV incidente e 6.132 mortes por todas as causas.

As associações de colesterol na dieta ou consumo de ovos com DCV incidente e mortalidade por todas as causas foram monótonas (todos os valores de P para termos não-lineares, 0,19 a 0,83). Cada 300 mg adicionais de colesterol consumido por dia foi significativamente associado com maior risco de DCV incidente (HR ajustada, 1,17 [IC 95%, 1,09-1,26]; ARD ajustada, 3,24% [IC 95%, 1,39%-5,08%]) e mortalidade por todas as causas (HR ajustada, 1,18 [IC 95%, 1,10-1,26]; ARD ajustada, 4,43% [IC 95%, 2,51%-6,36%]).

Cada metade adicional de ovo consumido por dia foi significativamente associada a maior risco de DCV incidente (HR ajustada, 1,06 [IC 95%, 1,03-1,10]; ARD ajustada, 1,11% [IC 95%, 0,32% -1,89%]) e mortalidade por todas as causas (HR ajustada, 1,08 [IC 95%, 1,04-1,11]; ARD ajustada, 1,93% [IC 95%, 1,10% -2,76%]).

As associações entre consumo de ovos e DCV incidente (HR ajustada, 0,99 [IC 95%, 0,93-1,05]; ARD ajustada, −0,47% [IC 95%, −1,83% a 0,88%]) e mortalidade por todas as causas (HR ajustada, 1,03 [IC 95%, 0,97-1,09]; ARD ajustada, 0,71% [IC 95%, -0,85% a 2,28%] não foram mais significativas após o ajuste para o consumo de colesterol na dieta.

Concluiu-se com esse estudo que, entre os adultos dos EUA, o maior consumo de colesterol ou ovos na dieta foi significativamente associado com maior risco de doença cardiovascular incidente e mortalidade por todas as causas, de maneira dose-resposta. Esses resultados devem ser considerados no desenvolvimento de diretrizes e atualizações dietéticas.

Original: https://www.news.med.br/p/medical-journal/1335818/maior+consumo+de+colesterol+ou+ovos+na+dieta+associado+com+maior+risco+de+doenca+cardiovascular+incidente+e+mortalidade+estudo+publicado+pelo+jama.htm

Caio Melo

Os comentários estão fechados.