Ambiente hostil no trabalho pode comprometer a saúde mental – Widoctor

Ambiente hostil no trabalho pode comprometer a saúde mental

Ambiente hostil no trabalho pode comprometer a saúde mental

Ambiente hostil no trabalho pode comprometer a saúde mental

Um ambiente hostil no trabalho pode comprometer a saúde mental. Segundo a psiquiatra Fátima Vasconcellos, da Associação Brasileira de Psiquiatria, as relações humanas no trabalho interferem na saúde mental mais do que o valor do salário e a realização profissional.

“Um ambiente de abuso, de intimação começa provocando esgotamento mental, podendo fazer eclodir uma depressão e crises de ansiedade. Torna-se uma doença que necessita de tratamento”, explica.

Uma atmosfera hostil é aquela em que há humilhação, intimidação e exclusão, de acordo com Fátima.

Ela afirma que o comportamento tirano geralmente é exercido por uma figura de autoridade. “O mais comum é entre chefe e subordinado, e não entre colegas”, diz. “Geralmente, um chefe tirano se vale de tiranizar os mais frágeis. Ele se aproveita de pessoas que têm maior insegurança e baixa autoestima criando um clima de insatisfação que a maioria das pessoas não aguenta”, completa.

De acordo com a psiquiatra, para sobreviver a ambientes hostis, é preciso criar mecanismos de proteção. O mais importante deles, segundo ela, é ter uma vida além do trabalho. “É uma forma de oxigenar a cabeça, de ficar menos sujeito àquele ambiente”, afirma. “Quando a pessoa tem uma vida fora do trabalho, ela fala de outros assuntos e não dá tanta importância àquela pessoa. Além disso, era terá alguém para conversar, inclusive sobre esse assunto. Falar sobre o problema pode trazer alívio”, diz.

Para a médica, ter outros interesses além do trabalho pode ajudar mais a lidar com o problema do que tentar muda a atitude. “Já que o tirano escolhe o frágil para oprimir, a pessoa pode tentar mudar a postura, tornar-se mais hábil, mas cada um tem uma estrutura de ser. Não é tão fácil virar o jogo. O mais indicado é não ficar focado no problema, porque ele aumenta”, afirma.

Alguns sinais podem servir de alerta de que o clima ruim do trabalho pode estar prestes a comprometer a saúde mental. Entre eles estão sentir-se aflito antes de ir trabalhar e não dormir à noite porque fica pensando no problema. “Nesses casos, é recomendável que se procure ajuda de um psicólogo ou psiquiatra para lidar com a questão”, orienta.

A psiquiatra ressalta que, embora anacrônica, a hostilidade no ambiente de trabalho ainda existe em algumas empresas. “As boas empresas são aquelas que criam ambientes colaborativos de respeito ao funcionário. Com isso, elas até ganham um aumento de produtividade”, afirma.

Depressão independe de sucessos na vida, como caso de Whindersson:

O comediante e youtuber Whindersson Nunes, 24, compartilhou nas redes sociais na última sexta-feira (12) que sente angústia e tem pensamentos negativos todos os dias. Chegou a falar até que “não sente vontade de viver” e pediu ajuda aos fãs. “Apesar de tudo de bom que vem acontecendo comigo, com tudo que já conquistei, eu me sinto há alguns anos triste,” escreveu. O psiquiatra Ivan Mario Braun explica que é possível alcançar todos os sonhos – fazer o que gosta, ser reconhecido, famoso, rico, viajar o mundo e encontrar o amor da vida – e ter depressão. “Depressão não é um fenômeno psicológico, é uma doença. Está relacionado alterações cerebrais e na comunicação das células nervosas, entre outras alterações”, afirma

Não se sabe ainda se Whindersson tem mesmo depressão. Já o atacante Nilmar, 34, uma das estrelas do Santos, teve o diagnóstico de depressão confirmado e está afastado dos campos. Os mecanismos da depressão ainda não são totalmente conhecidos. Mas, sendo um problema cerebral, não está ligado necessariamente a eventos negativos. “Esses eventos podem servir de desencadeantes, como estresse psicológico ou problemas puramente físicos, como cirurgias e até mesmo uma gripe forte”, diz o psiquiatra

Anitta, 26, afirmou tem desenvolvido a depressão no auge de sua carreira. Segundo ela, esse teria sido o segundo episódio da sua vida – o primeiro foi aos 18 anos. Ela revelou que não conseguia sair da cama e tinha dificuldades para sair de casa. O estresse positivo também pode desencadear a depressão em pessoas mais sensíveis, segundo Ivan Mario Braun. Além disso, fadiga, excesso de trabalho, tudo que desequilibra o organismo pode ser um desencadeador. “É mais frequente desencadeadores negativos, mas não se excluem os positivos. O excesso de estímulo positivo também pode ser um estresse ao organismo. Isso acaba provocando alterações cerebrais que levam aos sintomas da depressão “, diz.

Gisele Bundchen, 38, já revelou ter tido problemas de ansiedade e ataques de pânico e ter pensado em suicídio. O psiquiatra explica que alguns casos de depressão leve podem ser tratados com psicoterapia, mas a maioria necessita de tratamento com medicamentos próprios. “É uma interação entre predisposição e eventos ambientais. É bem mais raro, mas os eventos de depressão podem aparecer ‘do nada’. Não há nenhuma mudança na vida da pessoa, nem psicológica nem física, mas a depressão se instala”, explica o psiquiatra

A cantora Paula Fernandes, 34, já confessou que foi diagnosticada com depressão em torno dos 20 anos de idade. “Percebi que alguma coisa não estava bem, perdi o apetite, quase não dormia, chorava muito e vivia angustiada”, disse em entrevistas. “Avistei a janela e queria pular”, contou ela, sobre a fase mais grave. O psiquiatra afirma que a tristeza é bem mais leve que um quadro depressivo. A tristeza tem duração menor e passa quando o motivo que a gerou desaparece. Já a depressão permanece independentemente de o desencadeante já ter passado. “A depressão é um processo autônomo”, diz

Segundo divulgação na imprensa, o cantor Justin Bieber, 25, estaria passando por um episódio de depressão. “Alguns pacientes descrevem a depressão como uma tristeza profunda”, diz o médico. Segundo ele, na depressão a pessoa perde o prazer nas coisas, tem alterações de apetite, de sono, da libido, dificuldade de concentração e ficam mais lentas. Ela ainda é marcada por pensamentos negativos, que ficam na cabeça na maior parte do tempo, ideias de culpa e de menos valia. A pessoa se sente incapaz.

 

A cantora Zizi Possi contou ter sido diagnosticada com depressão em 2011 e descreveu a situação com “estar em uma caverna sem eco”. “Você sente uma extrema solidão”, disse à imprensa. “Muita gente está com depressão grave, mas pode trabalhar, conversar e até contar piada, mas por dentro está com uma super depressão. A pessoa tem uma face social”, explica o psiquiatra. “Tem algumas raras pessoas que nem sabem que estão em depressão”, completa

A cantora Demi Lovato, 26, afirmou ser bipolar, ter transtornos alimentares e depressão. Ela chegou a ser internada para tratar os problemas. “Não existe nenhuma evidência de que famosos tenham mais depressão que pessoas comuns”, afirma o psiquiatra. Segundo ele, 30% das pessoas vão ter algum quadro depressivo na vida, 10% terão um episódio de depressão mais grave. Dentro desse grupo, 50% vão ter um segundo episódio. Quem teve um segundo, 75% vai ter o terceiro e, entre elas, 90% vão ter um quarto. “A gente considera que, depois do segundo episódio maior, essa pessoa deverá ser tratada a vida inteira”, afirma.

O cantor Lucas Lucco, 28, também chegou a ser internado por causa da depressão. “É uma doença, uma ferida que ninguém pode ver”, disse. Segundo o psiquiatra, o estresse, que pode ser negativo ou positivo, que desencadeia a depressão varia de acordo com cada um. “Depende de como a pessoa vivencia aquela experiência”. Não é o caso de Lucas Lucco, mas o médico ressalta que outros desencadeadores da depressão podem ser o álcool, a droga e o cigarro. “Depressão não é tristeza e independe dos grandes sucessos da vida”, destaca o psiquiatra

 

TEXTO RETIRADO DO SITE: https://noticias.r7.com/saude/ambiente-hostil-no-trabalho-pode-comprometer-a-saude-mental-02052019?amp

Walter Gonçalves

Os comentários estão fechados.