Tratamento para Lúpus Eritematoso Cutâneo – Widoctor

Tratamento para Lúpus Eritematoso Cutâneo

Tratamento para Lúpus Eritematoso Cutâneo

Tratamento para Lúpus Eritematoso Cutâneo

Achados Clínicos

Sinais e sintomas: os sintomas geralmente são leves. As lesões consistem em placas violáceas, vermelhas, bem localizadas, simples ou múltiplas, com 5 a 20 mm de diâmetro, geralmente na cabeça em LED (lúpus eritematoso discóide) e no tronco em LECS (lúpus eritematoso cutâneo subagudo). No LED, o couro cabeludo, face e orelhas externas (conchal bowl) podem estar envolvidos. Nas lesões discóides, há atrofia, telangiectasia, despigmentação central, borda hiperpigmentada e tamponamento folicular. No couro cabeludo, perda de cabelo permanente significativa pode ocorrer em lesões de LED. No LECS, as lesões são placas eritematosas anulares ou psoriasiformes de até vários centímetros de diâmetro e aparecem mais na parte superior do tórax e das costas.

Tratamento

A-Medidas Gerais: utilização de roupa fotoprotetora e protetor solar com cobertura UVB e UVA diariamente. Cuidado: Evitar o uso de radioterapia ou medicamentos potencialmente fotossensibilizantes, quando possível.

B-Tratamento local: para lesões limitadas, o seguinte deve ser tentado antes da terapia sistêmica: cremes de corticosteróides de alta potência aplicados a cada noite e cobertos com filme plástico fino, hermético, flexível; ou creme ou pomada com corticosteróides de ultra-alta potência aplicados duas vezes ao dia, sem oclusão.

C-Infiltração local: a suspensão de acetonido de triamcinolona, ​​2,5 a 10 mg / mL, pode ser injetada nas lesões de LED uma vez por mês.

D-Tratamento sistêmico:

  1. Antimaláricos – Cuidado: esses medicamentos devem ser usados ​​somente quando o diagnóstico é seguro, porque eles têm sido associados a crises de psoríase, que podem estar no diagnóstico diferencial.
  2. Sulfato de hidroxicloroquina – 0,2 – 0,4 g por dia por via oral durante vários meses pode ser eficaz e é frequentemente usado antes da cloroquina. Recomenda-se uma avaliação mínima de 3 meses. A triagem para toxicidade ocular é necessária.
  3. Sulfato de cloroquina – 250 mg por via oral diariamente pode ser eficaz em alguns casos quando a hidroxicloroquina não é.
  4. Quinacrina (atabrina) – 100 mg por via oral por dia pode ser o mais seguro dos antimaláricos, uma vez que a toxicidade ocular não foi relatada. Colore a pele de amarelo e, portanto, não é aceitável para alguns pacientes. Pode ser adicionado aos outros antimaláricos para pacientes com respostas incompletas.
  5. Isotretinoína – A isotretinoína, 1 mg / kg / dia por via oral, é eficaz em lesões hipertróficas do LED.
  6. Talidomida – A talidomida é eficaz em casos refratários em doses de 50 a 300 mg por via oral diariamente. A lenalidomida (5-10 mg por via oral por dia) também pode ser eficaz com menor risco de neuropatia. A isotretinoína, a talidomida e a lenalidomida são teratógenos e devem ser usadas com contracepção e monitoramento adequados em mulheres em idade fértil.

Fonte:

Papadakis, M; Mcphee, S; Current Medical Diagnosis & Treatment 58 ed. New York: Lange, 2019

Guilherme França

Os comentários estão fechados.