widoctor – Widoctor

Todos os posts de widoctor

Otorrino ou Oftalmologia

Pergunta: Flávia (Universidade de Alfenas -BH)
Olá, estou finalizando o quinto ano de faculdade, e durante esse tempo decidi por limitar minhas escolhas de especialização em duas especialidades: Otorrinolaringologia e Oftalmologia. Vejo ambas as especialidades muito próximas em alguns quesitos (acesso direto na residência, presença de muitos procedimentos cirúrgicos, mesmo tempo de formação, melhor flexibilidade de horários, entre outros). Há ainda possibilidade de fellow após a residência no caso da oftalmo ou sub especialização em cirurgia de cabeça e pescoço no caso da otorrino. Gostaria de saber, na sua opinião, qual das duas vale mais a pena, pontos positivos e negativos, mercado de trabalho, carga horária e etc?

Resposta :

As duas especialidades são ótimas opções e estariam com certeza na relação das 6 melhores especialidades do momento.

Ótima qualidade de vida, excelente remuneração a médio e longo prazo, dia a dia tranquilo e mercado em crescimento com o envelhecimento da população, além de vários procedimentos e cirurgias que agregam valor ao preço da consulta.

O que deve direcionar na sua escolha é como você vai se sentir no dia a dia de cada uma dessas especialidades, ou seja com o tipo de paciente e tipos de patologias com as quais vai lidar diariamente.

Embora as duas contemplem atividades clinicas e cirúrgicas, a otorrino é uma especialidade mais cirúrgica do que a oftalmo.

A qualidade de vida da oftalmo pode ser ligeiramente melhor pela menor incidência de complicações nas suas cirurgias do que na otorrino, onde alguns sangramentos pós operatórios são relativamente frequentes.

Sucesso

Mário Novais

Dúvida na Escolha da Especialidade

Pergunta : Glauber (Universidade Luterana do Brasil)
Inicialmente, parabéns pela iniciativa desse grande site. Estou inclinado por 3 especialidades e considerando que vou me formar aos 33 (fiz direito antes da medicina) gostaria de saber qual dessas especialidades tem um melhor mercado atual e futuro e o tempo de vida profissional maior entre: Urologia, Cirurgia Torácica e Traumatologia/ortopedia?

Resposta :

Na escolha da especialidade, devemos levar em consideração não apenas o mercado atual e futuro, como vc está preocupado, mas também a qualidade de vida que o profissional terá e qual o seu grau de conforto e felicidade com o dia a dia próprio da especialidade.

Além, disso é comum o estudante ter dificuldade na escolha por gostar de mais de uma especialidade. Como é inviável escolher mais de uma, a solução é se definir por uma dentre as que ele gosta e parar de olhar pra trás, pensando se poderia ter escolhido alguma outra.

Das especialidades citadas por vc, a urologia e a ortopedia se equivalem em termos de mercado e de qualidade de vida. A cirurgia torácica pode ser interessante (como mercado) apenas em cidades onde ainda não exista esse especialista.

Formando com 33 anos, embora ainda tenha uma boa quantidade de anos para trabalhar como médico, se ainda estiver preocupado com a idade, então a ortopedia seria a melhor escolha pois é uma especialidade de acesso direto na residência, enquanto a urologia e a cirurgia torácica exigem pré-requisito de residência em cirurgia geral.

Sucesso

Mário Novais

Dermatologia : Mercado Futuro

Pergunta : Marília (Centro Universitário do Planalto Central)
Tendo em vista a abertura de inúmeras faculdades de medicina e com isso, mais programas de pós-graduação, nos próximos anos a tendência é aumentar a quantidade dermatologistas no país. Mesmo com esse aumento, ainda será uma especialidade com bom retorno financeiro?

Resposta :

A classe de estudantes de Medicina está ficando mais criteriosa na escolha da futura especialidade médica e já começa a dar preferência às especialidades que permitem melhor qualidade de vida e melhor remuneração, como é o caso da dermatologia.

Consequentemente o número de dermatologistas tende a aumentar, porém o mercado para esse especialista também já vem aumentando em ritmo ainda maior, com o envelhecimento da população, da importância que se tem dado à prevenção do CA de pele e da enorme força da indústria de cosméticos, que vem impulsionando a procura pela beleza na população.

Resumindo, não vejo preocupação em relação ao mercado para dermatologistas, com o aumento do número de médicos no Brasil.

Sucesso

Mário Novais

Anestesiologia ou Clínica Médica

Pergunta : Amanda (Faculdade Santa Marcelina-SP)
Anestesio ou clínica médica? No caso da clínica penso em fazer endocrinologia como especialidade. Qual a melhor escolha?

Resposta :

As duas especialidades apontadas por vc apresentam caminhos diferentes na formação profissional e acima de tudo dia a dia bem diferentes após a formação técnica.

Anestesio é uma especialidade de acesso direto na residência médica e endocrinologia é uma especialidade clínica com pré requisito de 2 anos de residência em clinica médica.

Na verdade o rótulo de  melhor escolha poderá variar de acordo com suas ambições e planejamento de vida.

Algumas informações sobre essas especialidades poderão te ajudar na escolha :

Anestesiologia :

É a especialidade onde o ganho financeiro é maior e mais rápido. Mesmo durante a residência, aparecem muitas oportunidades de serviços extras ( na maioria das vezes oferecidos pelo próprio staff da residência médica )
Além das atividades regulares, o anestesista ainda tem oportunidade de enveredar por um mercado pouco explorado e em ascensão , que é o das chamadas “Clínicas da Dor”.
A anestesiologia possibilita ganhos financeiros muito grandes e também maior independência de patrões e de convênios. Por outro lado, a qualidade de vida é prejudicada, principalmente no início de carreira, pela irregularidade de horários e pelas urgências.
Com o passar do tempo, se o anestesista não for “desesperado por dinheiro “, ele pode organizar sua vida e seus horários e desempenhar a maior parte da sua jornada de trabalho com anestesias eletivas e ficar de sobreaviso para urgências apenas uma ou duas vezes por semana.

Endocrinologia :

Os campos de atuação desse especialista são muito variados e o mercado de trabalho está em franco crescimento para os especialistas dessa área.: :

Abaixo material fornecido pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia

Andropausa: Os hormônios masculinos podem diminuir quando o homem envelhece. Nesse caso, algumas pessoas podem sentir cansaço, diminuição da força muscular e disfunção sexual, necessitando da ajuda do especialista para fazer reposição hormonal.

Colesterol e Triglicerídeos: A alimentação errada e algumas doenças podem levar ao aumento do colesterol e dos triglicerídeos em adultos e crianças. Com um tratamento adequado, o risco de futuras complicações cardiovasculares é reduzido.

Crescimento: Uma criança saudável tem um crescimento normal. O crescimento deficiente ou excessivo pode ocorrer em função de alterações hormonais, nutricionais ou genéticas.

Diabetes: Se você tem excesso de peso, parentes com diabetes, hipertensão ou alterações de gordura no sangue, procure um endocrinologista. Você poder desenvolver diabetes! Mas se você bebe muita água, urina muito e perde peso pode estar diabético.

Distúrbios da Menstruação: Alterações do ciclo menstrual (falta de menstruação ou menstruação mais de uma vez ao mês) podem significar problemas hormonais. Por isso, necessitam de investigação e tratamento adequado.

Distúrbios da Puberdade: Crianças que desenvolvem precocemente pelos pubianos, odor axilar e desenvolvimento das mamas, apresentam distúrbios hormonais e necessitam avaliar a origem do problema. Os adolescentes que não desenvolvem essas características também necessitam de uma avaliação.

Doenças da Glândula Supra-Renal: Aumento de peso, estrias avermelhadas, pelos excessivos, pressão alta ou baixa, puberdade precoce, além do escurecimento da pele podem significar problemas na glândula supra-renal.

Doenças da Hipófise: Tumores da hipófise podem levar à presença de leite nas mamas, fora do período de amamentação, além de mudanças faciais, aumento do número do sapato, dores de cabeça e distúrbios da visão.

Excesso de Pelos: Mulheres com excesso de pelos na face (hirsutismo), acne ou amento da musculatura, podem estar com produção excessiva de hormônios masculinos.

Obesidade: A obesidade representa um risco para a saúde das crianças e dos adultos. O tratamento orientado pelo especialista evita uma série de complicações, como as cardiovasculares e as ortopédicas.

Osteoporose: Trata-se de uma doença endócrina. Dores nos ossos e fraturas frequentes podem significar enfraquecimento ósseo. Procure o seu endocrinologista. Ele pode diagnosticar e indicar o tratamento mais adequado.

Reposição Hormonal da Menopausa: A reposição hormonal é um tratamento eficaz, feito com hormônios iguais ao da própria mulher, para amenizar o desconforto e os riscos causados pela menopausa.

Tireoide: Nódulos ou aumento de volume do pescoço; nervosismo; insônia e alterações no ritmo intestinal; coração acelerado; perda ou ganho de peso;e excesso de frio ou calor podem revelar distúrbios da tireoide.

Importante na sua avaliação deve ser também como você se sente em relação ao tipo de paciente com os quais irá trabalhar, porque conforme a especialidade os perfis de pacientes são bastante diferentes. Isso é fundamental na sua escolha; lembre que estará fazendo uma escolha para 40 ou 50 anos de atividade profissional.

Sucesso

Mário Novais

 

Remuneração do Médico

Pergunta : Lucas (Universidade Federal do Pará)
Embora existam apontamentos e médias, as remunerações das especialidades ainda são algo que me deixa em dúvida. Se o senhor fosse fazer um ranking, que especialidades são as com melhores remunerações e quanto um profissional de qualquer uma delas deve esperar receber em cidades de médio porte?

Resposta :

A remuneração do profissional, de qualquer especialidade depende de uma série de fatores, tais como:

Especialidade, tempo de formado, cidade onde está trabalhando, círculo de relacionamentos do médico, resultados dos seus tratamentos, tamanho da cidade, concorrência local na especialidade e acima de tudo do marketing que utilizar para alavancar a carreira.

De um modo geral, as especialidades que permitem exames complementares, procedimentos diagnósticos ou terapêuticos e/ou cirurgias, permitem um melhor faturamento.

Por exemplo, enquanto uma consulta de clínica médica por plano de saúde, vai remunerar o profissional com cerca de 100,00, uma consulta de oftalmologia, que pode incluir exames diagnósticos (tonometria, ultrassonografia, microscopia especular, campo visual…) pode render mais ou menos 200,00.

Em linhas gerais, as especialidades mais bem remuneradas são:

Anestesiologia, Oftalmologia, Otorrrinolaringologia, Dermatologia, Cirurgia Plástica, Ortopedia, Neurocirurgia, Urologia, Gastroenterologia.

Por outro lado, se formos falar de serviços públicos, até que seja implantada a famosa “Carreira Médica de Estado”, os rendimentos são muito pequenos, a não ser os rendimentos de especialistas como Neurocirurgiões em cidades muito distantes, onde as secretarias de saúde pagam salários altíssimos para poder ter esses profissionais.

Sucesso

Mário Novais

Dúvida na Escolha da Especialidade

Pergunta : Fabíolla (Centro Universitário do Maranhão)

Boa noite! Estou no 6 ano da faculdade e desde que entrei sempre quis fazer Otorrino (sou cirurgião-dentista) e acreditava que seria uma boa escolha, pois sempre identifiquei com patologias orofaciais/cabeça/pescoço. No entanto, no decorrer do curso tive muito contato com a cirurgia e a GO e as duas me despertaram interesse também, pois sempre tive aptidão por procedimentos. Como escolher entre essas 3? Ainda me questiono sobre qualidade de vida e rotina médica. Preciso muito de uma luz!Obrigada!

Resposta :

É comum ao chegar próximo do final do curso médico, o estudante ficar em dúvida na escolha da especialidade pelo fato de se sentir atraído por mais de uma especialidade.

Isso é bem justificável se considerarmos que são 54 especialidades oficiais de acordo com o Conselho Federal de medicina, sendo comum se gostar de mais de uma delas.

De qq modo, a escolha deve ser o mais racional possível pois serão muitos anos de atividade laboral e o médico deve se sentir feliz e confortável com o seu dia a dia.

Na escolha da especialidade, devemos levar em consideração basicamente 3 aspectos :

  1. Que qualidade de vida essa especialidade me permite ?
  2. Quais são as possibilidades de ser bem remunerado ?
  3. Que tipo de paciente vou atender ?

A terceira pergunta deve ser fundamental na sua escolha, já que vai lidar com esse tipo de paciente por muitos anos, sendo importante que esse contato seja confortável para você.
Numa fase inicial, a escolha precisa apenas recair em :

  1. Uma especialidade cirúrgica – aí vai ter que passar primeiro na cirurgia geral.
  2. Uma especialidade clínica – aí vai precisar, primeiramente, passar pela residência de clínica médica.
  3. Uma especialidade de acesso direto- aí precisa conhecer bem essas possibilidades, ou seja quais são as características de : otorrino, oftalmo, ortopedia, radiologia, dermatologia, pediatria, neurocirurgia…

Sugiro que vc faça o teste vocacional de nosso site e analise com carinho as 5 primeiras especialidades apontada no seu teste.
O teste procura “casar” sua personalidade com as características de cada especialidade
No nosso site, seção carreira médica vc encontra informações sobre praticamente todas as especialidades

No seu caso específico a otorrino seria uma boa escolha.

Formando aos 49 Anos

Pergunta : Leonardo ( Unisinos – RS)
Olá Dr. Tenho 43 anos e já tenho formação superior. Decidi ano passado fazer novo vestibular e fazer medicina. Se tudo der certo vou me formar ao 49 anos e poderei fazer uma residência de acesso direto até os 52 ou 53 anos. Creio que terei 20 anos para trabalhar como médico e espero fazer alguma diferença na vida de meus pacientes. Que especialidades acha que uma pessoa com o meu perfil pode ter maior exito. Pensei em 3 opções (sujeito a mudar com a experiência cotidiana do curso), Psiquiatria, anestesiologia ou geriatria. Atenciosamente, Leonardo

Resposta :

Parabéns pela iniciativa. Nunca é tarde para se correr atrás dos nossos sonhos e somos testemunhas de várias situações semelhantes à sua e todos estão felizes, independente da idade.

Formando aos 49 anos e entrando para residência logo depois (a residência médica é fundamental na formação do profissional e não deve abrir mão dela).

Estará entrando no mercado de trabalho com mais ou menos 52 anos, assim ainda terá um grande período para exercer essa profissão.

A escolha da especialidade somente deve ser feita lá pelo décimo período, quando vc conhecerá melhor as diferentes especialidades e poderá fazer uma escolha mais racional. Mesmo pensando em “ganhar tempo”, é importante que essa escolha seja adequada pois o tempo de atividade laboral precisa ser agradável para vc.

Evidente que uma especialidade de acesso direto será mais útil e se for uma especialidade de mais fácil incursão no mercado, será melhor ainda.

Sugestões :

Anestesiologia ( começa a ser bem remunerado mais rapidamente do que a maioria das especialidades )

Pediatria ( vai poder trabalhar até pelos menos  80 anos de idade )

Dermatologia, Radiologia, PSF, Neurologia

Geriatria não será interessante pois tem pré requisito de 2 anos de clínica médica.

Sucesso

Mário Novais

Ginecologia e Obstetrícia ou Cirurgia Ginecológica

Pergunta : Carolina ( Universidade Federal Fluminense )
Eu tenho interesse na área de Ginecologia, mas com preferência para questões apenas ginecológicas, tanto orgânicas quanto funcionais, e não obstétricas. Devo seguir pela residência em GO e me especializar nas patologias de meu interesse ou seguir por exemplo com cirurgia geral ou cirurgia oncológica e me especializar em ginecologia? Obrigada!

Resposta :

É uma tendência atual dos estudantes interessados em G & O de, no médio ou longo prazo, optarem por ficarem somente no atendimento de Ginecologia, abandonando a parte Obstétrica da especialidade. em função de buscarem uma melhor qualidade de vida ( menos urgências, menos trabalhos de parto prolongados …)

Buscando mais a formação da parte Ginecológica da especialidade, embora você possa seguir um desses dois caminhos citados por você, com um objetivo comum, os resultados finais poderão ser diferentes.

Em termos de capacidade técnica, falando de habilidade cirúrgica, o caminho cirurgia geral e depois cirurgia oncológica vai te permitir uma formação técnica de cirurgia melhor.

Por outro lado o caminho residência de Ginecologia e Obstetrícia, embora deixe a desejar em termos de técnica cirúrgica, vai te permitir um mais fácil acesso em termos de marketing e aumento da clientela.

Talvez esse segundo caminho seja mais fácil e mais rápido para construir uma grande carreira médica.

Sucesso

Mário Novais

Pediatria ou Medicina de Família

Pergunta : Daise (Universidade de Ribeirão Preto)
Boa Tarde Dr! Estou concluindo minha graduação. E tenho muita duvida em qual área seguir. Gosto muito da área clinica e de conversar com os pacientes, por isso adorei as áreas de Pediatria e Medicina da Família. O que o senhor tem a me dizer sobre essas especialidades? Pois as pessoas vivem me dizendo que como pediatra vou trabalhar muito e ganhar pouco. Obrigada!!

Resposta :

A escolha da especialidade deve ser feita de forma bem racional, pois vc vai trabalhar nela por cerca de mais 40 anos e precisa se sentir feliz e confortável com o seu dia a dia na especialidade.

Alguns pontos são importantes na hora de se fazer essa escolha:

Qual a qualidade de vida que essa especialidade vai me permitir? Essa qualidade está de acordo com meus planos de vida?
Que remuneração essa especialidade vai me permitir? Essa remuneração combina com minhas ambições financeiras?
Como vai ser meu dia a dia de acordo com a especialidade que escolher? Vou me sentir confortável com esse cotidiano?
A chave do sucesso na escolha racional da especialidade é, sem dúvida, o melhor conhecimento de cada especialidade; principalmente em relação aos 3 itens citados.

PEDIATRIA :

Apesar da pediatria ser bastante agradável sob vários aspectos, ela se torna penosa porque ou você vai trabalhar a vida inteira dando plantões ( e quando tiver filhos , como fica ? ) ou vai trabalhar em consultório próprio e terá muitas realizações pessoais, mas também muitos telefonemas e uma “quase escravidão” com a clientela.

Além disso, a pediatria vai ser somente consultas; não existem procedimentos que agreguem valor e daí com uma consulta em média de R$ 60,00 dos convênios, vai ter dificuldade de conseguir boa remuneração.

Um outro aspecto é que a população envelhecendo e a natalidade diminuindo, a clientela para o pediatra tende a diminuir também.

O Mercado de trabalho para pediatras está com grande carência de profissionais em todo o país, provavelmente porque é uma das especialidades mais desgastantes e com remuneração ruim. Como já foi dito, na pediatria, não existem procedimentos que agreguem valor ao preço das consultas e com os convênios pagando somente cerca de R$ 60,00 por uma consulta no consultório, os pediatras trabalham muito, são muito requisitados em termos de telefonemas feitos pelas mães dos clientes e com isso estão sempre estressados. A qualidade de vida do pediatra é, portanto, ruim e a remuneração é injusta, por isso a maioria dos estudantes tem optado por outras especialidades( isso ocorre no mundo todo ) de melhor qualidade de vida e de melhor remuneração.

Em função da escassez de pediatras, os plantões em emergências de pediatra estão, no momento, remunerando melhor do que os plantões de outras especialidades, mas isso será transitório enquanto houver essa escassez. Além disso a tendência de qualquer especialista é, depois de algum tempo de formado, evitar plantões e dedicar-se ao seu consultório.

Atualmente o salário de um pediatra oscila entre R$ 7.000,00 e 9.000,00 mensais por um plantão de 24 h semanais ( esse valor pode variar de acordo com a cidade ).

Em relação a como melhorar a qualidade de vida do pediatra, por mais que vc oriente seus pacientes a procurarem um serviço de emergência sempre que necessário e não perturbem sua qualidade de vida, isso é quase impossível.

As sub especialidades da pediatria também não são muito boas como escolha, uma vez que o número de crianças que necessita destes especialistas não é muito grande, já que a maioria das doenças infantis são de manuseio do próprio pediatra.

Alergia e Homeopatia são relativamente exceções porque a freqüência de patologias destas sub especialidades é grande e a clientela aumenta com facilidade.

A homeopatia leva vantagem porque independe de convênios e portanto permite um rendimento maior por conta de clientela particular.

A Alergia permite a realização de testes e vacinas no consultório, agregando valor à consulta.

Mas tanto a alergia quanto a homeopatia e mesmo a própria pediatria  em geral não permitem uma boa qualidade de vida para o especialista e isso deve sempre ser levado em consideração na escolha da especialidade.

A Gastroenterologia pediátrica permite alguns procedimentos como biópsias, testes de sobrecarga e Phmetria, mas não são muito freqüentes. A maior parte das patologias desta especialidade é resolvida pelos próprios pediatras.

A Hematologia, a Genética, a Endocrinologia, a cardiologia e a Oncologia pediátrica estão carentes de profissionais no mercado, mas também são especialidades tristes e exigem uma estrutura emocional forte desses especialistas.

 Medicina de família :

 A Medicina de Família (PSF) é a especialidade que provavelmente possa trazer mais resultados em termos de saúde da população, mas como depende muito de ações governamentais, ela se torna uma especialidade não tão boa. No início os programas de saúde da família remuneravam muito bem (até R$ 15.000,00 por 20 horas de trabalho semanal), mas hoje já existem programas que remuneram apenas R$ 6.000,00 por essa carga horária .

Do ponto de vista técnico, uma residência prévia em clinica médica ou em pediatria , facilitaria muito o seu desempenho na área de saúde da familia.

Considerando que dos pacientes que procuram atendimento médico, mais de 80 % apresentam problemas simples e de fácil resolução, o papel do médico de família e generalista  é ao mesmo tempo muito simples e também muito importante, embora a cultura da população seja a de procurar sempre um especialista.

O médico dessa especialidade ( medicina de família ) deve ter conhecimentos básicos de medicina e do tratamento das doenças comuns e do ponto de vista qualidades pessoais, deve ser uma pessoa tranquila, tolerante, com capacidade de dar bastante atenção aos seus pacientes e acima de tudo deve “gostar de pessoas e de relacionamentos pessoais”.

Como na escolha da especialidade, é fundamental que se leve em consideração o tipo de paciente com quem vai lidar no exercício da profissão, sugiro que vc frequente algum PSF (sua faculdade deve ter um desses) para ter certeza de que se identifica com esse tipo de atendimento.

Sucesso

Mário Novais

Endocrinologia ou Cirurgia Bariátrica

Pergunta : Nathaly ( Faculdade de Medicina de Petrópolis )
Boa tarde, doutor. Sou estudante de medicina, tenho interesse em áreas ligadas ao emagrecimento e doenças da obesidade. Além disso, queria muito uma especialidade que possa abranger clinica e cirurgia. O cirurgião bariátrico realiza o acompanhamento clínico do paciente ou é preciso uma especialização específica para isso ? E o senhor acha a cirurgia bariátrica uma especialidade que tem segurança financeira? Agradeço o senhor ajudar os estudantes de medicina com este site rico em informações

Resposta :

Muitas vezes o estudante de Medicina quer trabalhar em mais de uma especialidade, o que não é uma boa opção por ser difícil acompanhar o desenvolvimento técnico e científico de mais de uma especialidade.

Se o interesse é lidar com pacientes com obesidade (atualmente essa patologia já é considerada uma “epidemia”, o que é bom do ponto de vista mercado de trabalho para o médico) então  o caminho melhor na formação profissional será a residência de clinica médica e depois a residência de endocrinologia.

A atuação do cirurgião bariátrico se limita mais a um acompanhamento preparatório para a cirurgia e a cirurgia em si. O acompanhamento clínico posterior é feito pelo endocrinologista.

O futuro da cirurgia bariátrica é meio incerto pois as técnicas estão sendo aperfeiçoadas e mesmo modificadas com frequência, tendendo a procedimentos menos invasivos e á área passa a ser disputada não somente pelos cirurgiões bariátricos, mas também, pelos endocrinologistas, pelos endoscopistas e por cirurgiões gerais.

Sucesso

Mário Novais