Controle o tempo da prova

Controle o tempo da prova

Se você vai fazer prova para residência médica, é fundamental que controle o tempo da prova. Algumas provas tem duração de 4 horas, outras de 5 horas. Sugerimos aqui uma maneira diferente de dividir o tempo que pode te ajudar muito.

Divida a prova em 5 blocos de 20 questões cada e siga a orientação de tempo abaixo. Somente passe para o próximo bloco quando esgotar o tempo destinado àquele bloco. Use o tempo que estiver sobrando para fazer revisão de próprio bloco.

 

Cursos preparatórios para a prova de residência

Cursos preparatórios para a prova de residência

Por mais que o estudante de medicina esteja em uma boa (ou mesmo ótima) faculdade, os cursos preparatórios para a prova de residência médica representam uma excelente oportunidade de se fazer uma revisão das matérias do currículo médico e com isso fortalecer a base cientifica tão importante para se conseguir uma boa carreira profissional.

Fazer o cursinho no sexto ano, estudando organizadamente, fazendo bastante exercícios e principalmente treinando com provas dos anos anteriores, será suficiente para ser aprovado na prova para residência.

Também pode ser uma boa estratégia fazer o curso de forma “light” no quinto ano e no sexto ano fazer um curso mais prático ( que já é fornecido no formato de casos clínicos ) e ainda frequentar os “intensivões”, fornecidos por esses cursos.

O mais importante é você ir monitorando o seu desempenho durante o curso e verificando seus resultados nos testes simulados. Apesar do ponto de corte para a maioria das especialidades estar na faixa dos 70 %, de um modo geral seu objetivo deve ser o de pontuar cerca de 80 % nos simulados, para ser aprovada com tranquilidade.

Vários professores de faculdades de medicina criticam os cursinhos, pois acham que representam desprestígio para suas faculdades e forçam os estudantes a “abandonarem” o internato com objetivo de se dedicarem ao preparo para a prova de residência.

Minha opinião pessoal é a de que os cursos preparatórios funcionam como um complemento das faculdades e com certeza tem seu valor.

Autor: Mário Novais

Administração do tempo

Administração do tempo

A faculdade de medicina é altamente consumidora de tempo porque além do horário praticamente integral ainda aparecem seminários, trabalhos, provas e começam os plantões.

Alguns conseguem lidar com essa roda viva com facilidade, mas a maioria apresenta dificuldades de administrar o tempo e fazê-lo render. Com isso vem o estresse e consequentemente a falta de concentração.

Isso é comum e o caminho para resolver isso é aprender a administrar o tempo fazendo um esquema de horários relativamente rigoroso e seguindo algumas regras básicas que vão relacionadas abaixo

Procure relaxar porque quanto mais você pensa que não está rendendo, mais isso acontece…

Relaxe que as coisas melhoram…

DICAS PARA ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO

Todos tem falta de tempo ou administram mal o seu tempo?
2. Tempo nunca volta: é irrecuperável?
3. Você não tem tempo para se organizar e continua perdendo tempo por causa da desorganização?
4. Durante o dia, você apenas apaga incêndios ou produz realmente?
5. Filtre a leitura do jornal pelas manchetes;
6. Ambiente de trabalho arrumado aumenta muito sua produtividade;
7. Mesa e gavetas arrumadas evitam perda de tempo;
8. Desligue rádio e TV para se concentrar;
9. Organize bem seus arquivos;
10. Divida  sua jornada de trabalho em períodos;
11. As pessoas são mais eficientes em determinados horários do dia;
12. Conheça seus horários de maior eficiência e use-os para tarefas mais importantes;
13. Faça uma agenda diária;
14. Somente desrespeite sua agenda se alguém ou algum fato realmente agregar valor;
15. Inclua atividades de lazer na sua agenda diária;
16. Duas ou três férias curtas no ano são melhores do que uma longa;
17. Trabalhar pela família 24 horas por dia não ajuda a família, afasta-a
18. Não leve trabalho para casa;
19. Faça uma lista de tarefas pendentes, divida-as em prioridades A, B ou C;
20. Estabeleça cronogramas;
21. Sua sala deve ter um relógio (não virado para os pacientes);
22. Se precisar produzir mesmo, tranque a porta  e tire o telefone do gancho;
23. Cuidado com as montanhas de papéis;
24. Acelere sua leitura usando o dedo ou uma ponteira como orientador;
25. Quando receber um cartão, anote logo na agenda e jogue-o fora;
26. Saia da sua sala, circule;
27. Ficar de pé na sua sala pode acelerar visitas indesejáveis ou prolongadas;
28. Use o viva-voz do telefone;
29. Fuja de reuniões;
30. Marque hora para começar e terminar reuniões;
31. Delegue tarefas sempre que possível;
32. Quando começar uma tarefa, faça-a até o final;
33. Aprenda a dizer NÃO; não assuma compromissos em excesso.

Autor: Mário Novais

As múltiplas inteligências

As múltiplas inteligências

O trabalho feito pelo Dr. Howard Gardner, em seu livro Estruturas da Mente, nos chama à atenção o fato de que temos múltiplas inteligências.

Essas são poucas vezes levadas em consideração como conjunto, uma vez que, os testes tradicionais de inteligência e o sistema educacional, focam apenas nas inteligências Linguística e Lógica/Matemática.

As 7 inteligências são:

1) Inteligência Linguística: a pessoa fala e escreve bem. Como um escritor de livros e poesias.

2) Inteligência Lógica/Matemática: talento com números e pensamento lógico/ linear, o que é típico do hemisfério Esquerdo do cérebro como vimos no primeiro artigo. Ex: engenheiros, cientistas e contadores.

3) Inteligência Visual/Espacial: Habilidade de visualizar como as coisas vão ficar, criar uma imagem na mente. Também é usada quando temos que nos localizar, usar o senso de direção.

4) Inteliência Corporal/Cinestésica: Você a utiliza quando se move bem, corre, dança, pratica bem um esporte ou constrói alguma coisa.

5) Inteligência Musical: A habilidade de criar e interpretar música. Uma pessoa que tem bom senso de ritmo. A maioria das pessoas tem mais facilidade de decorar um assunto associado a uma melodia ou uma rima. Esse é mais um motivo para tentar estudar com uma música de fundo, sendo melhor a música clássica, com uma melodia calma.

DICA: ajuda muito ler o tema estudado no ritmo da música.

6) Inteligência Interpessoal : é o talento social, habilidade de lidar bem com outras pessoas.

7) Inteligência Intrapessoal: é o auto-controle e auto-análise, que significa ser capaz de compreeder seus próprios sentimentos e atitudes. Essa inteligência é necessária para criar objetivos e refletir em seus próprios sucessos e fracassos, aprendendo com suas experiências.

É importante atentar para o fato de que essas inteligências tem o mesmo valor. São como um time de sete jogadores que você comanda. Sendo o técnico, é sua função trabalhar as habilidades de cada um e, fazendo-os trabalhar em equipe, alcançar o sucesso muito mais rápido.

Tipos de Aprendizado

Tipos de Aprendizado

Quando queremos aprender algo, devemos levar em conta que existem tipos de aprendizado: Informal, formal e acelerado.

Analisando cada um:

Quando queremos aprender algo, devemos levar em conta que existem tipos de aprendizado: Informal, formal e acelerado.

Analisando cada um:

  1. Informal: geralmente adquirido em discussão, perguntas, tentativa e erro. E envolvendo diversão, cooperação, como em jogos e gincanas (experiência real).
  2. Formal(estudo): através de livro-texto, leitura ou palestra. Esse aprendizado é geralmente feito sozinho, sob pressão. Torna-se maçante em pouco tempo.

O primeiro método é mais eficiente, pois usa um número maior de inteligências. É só se lembrar das músicas de ciranda da escola, você provavelmente tem maior lembrança dela do que dos livros que leu na mesma época.

  1. Acelerado: realizado com baixo estresse, combinando o lado esquerdo E direito do cérebro.

Usa os 7 tipos de inteligência:

física,
lógica,
lingüística,
visual/espacial,
intra-pessoal,
inter-pessoal,
musical.

Mais adiante falaremos dos 7 tipos de inteligência, que são igualmente importantes para aprendizado acelerado. Cada indivíduo tem pontos fortes e fracos. Devemos desenvolver os pontos mais fracos e usar as facilidades a nosso favor.

Conceitos básicos do aprendizado

Conceitos básicos do aprendizado

Para estrear o nosso curso do plano de estudos começaremos pelo mais simples – que às vezes parece óbvio – mas ainda sim a maioria das pessoas não coloca em prática.

O primeiro passo é saber que existem diferentes maneiras de se aprender, e para acelerar os estudos, você precisa descobrir qual sua maneira preferida. Assim, o aprendizado será feito de forma mais eficiente e agradável. Mesmo tendo uma maneira mais fácil de aprender (a que você vai focar), aprendemos melhor quando usamos todos os sentidos focados num assunto.

Vamos às formas de reter  informações: Ler, escutar, ver (figuras), dizer, fazer e a melhor de todas, combinar todas as formas de aprender. Como você pode combiná-las?

Com o avançar do curso ensinaremos diversas formas de reter informações combinando essas maneiras de aprender, mas é importante você exercitar algumas. Por exemplo, quando ler um texto, escreva as ideias chave numa outra folha e depois leia em voz alta. Grave sua voz lendo um livro e depois ouça. Crie seu método e também o hábito de usá-lo.

Você aprende e fixa melhor as informações que estimulam os dois hemisférios do cérebro, cada um tem uma função predominante, e quando você estimula os dois lados o cérebro trabalha por inteiro e seu aprendizado melhora.

1) Aprendizados que usam predominantemente o hemisfério esquerdo: lógica, passo a passo, palavras, detalhes;

2) Aprendizados que usam predominantemente o hemisfério direito: figura inteira, criatividade, melodia, padrão.

Sabendo dessa predominância de cada hemisfério você pode estudar, por exemplo, resumindo a matéria em um passo a passo com palavras-chave e criar uma melodia para lê-las, assim você guardará com mais facilidade, pode ainda incluir figuras nesse resumo.

Lembrando que essas técnicas servem para qualquer tipo de aprendizado que o leitor desejar. No começo ela pode ser um pouco mais demorada para ser colocada em prática do que só ler o que está sendo estudado. Mas depois de dominada a técnica economiza tempo e, principalmente, retém mais informações e de maneira mais duradoura.

Dicas para encontrar sua melhor maneira de aprendizado

Dicas para encontrar sua melhor maneira de aprendizado

O questionário abaixo serve como um modelo de como você pode descobrir seu método preferido de aprender, caso ainda não saiba.

Descubra sua maneira preferida de aprender:

  1. Quando você está concentrado, você se desconcentra mais facilmente com:
    a) Alguma coisa desorganizada?
    b) Barulho?
    c) Movimento ou distúrbio físico?
  2. Quando está falando:
    a) Fala, rápido, descreve muitas imagens?
    b) Fala fluente e numa ordem lógica, com poucas hesitações?
    c) Usa muito movimentos das mãos?
  3. Quando você conhece alguém, você:
    a) Lembra mais de sua aparência física?
    b) Lembra mais o que ela disse?
    c) Lembra mais das características emocionais?

Se as respostas tendem a ser:

  1. a) = estímulos visuais
    b) = estímulos auditivos
    c) = estímulos físicos

Depois de descoberto é aconselhável focar nesse sentido de aprendizado, mas sempre envolvendo os outros.

Preparo para o aprendizado

Preparo para o aprendizado

Como você se sente em relação ao processo de aprendizagem é extremamente importante. Uma atitude mental positiva é o primeiro passo, e vem de:

1) Compreender seus sentimentos, como eles são formados e como você pode escolher mudá-los. Saber como criar, propositalmente, o sentimento de confiança, o mais intenso possível. Auto-confiança é essencial para o sucesso.

2) Escolher metas claras: a sua motivação em escolher estudar ao invés de realizar uma outra atividade que traga um prazer imediato depende, em grande parte, da sua capacidade de visualizar o sucesso futuro com clareza.

3) Ser capaz de relaxar a qualquer momento, quando você assim desejar.

Na Prática:

Você precisa inicialmente relaxar, respire fundo, coloque uma música calma (de preferência instrumental) para criar um ambiente agradável, e não dispersá-lo.

Para motivar-se: perceba os benefícios do estudo, imagine  as recompensas pelo trabalho. Note o aumento de seu ganho com o aprendizado, lembre-se de sucessos passados como estímulo. Reflita sobre como tarefas que exigiam dedicação mudaram expressivamente sua vida.

Escreva metas claras: escreva num caderno de forma precisa. Não é eficiente colocar metas generalizadas como “estou mais magro até abril”; é preciso objetivos pontuais, “peso 75 kg em abril de 2011”. Escreva de 6 a 10 metas com prazos finais. Assim ficará mais fácil criar um planejamento para alcançar a meta, pois você consegue enxergar claramente o que quer e até quando tem para conquistar isso.

Afirmações: as frases devem ser feitas como afirmações pessoais, positivas e no presente: “Eu tiro 85 na prova de residência em Novembro de 2011”. Reescreva assim que acordar, todos os dias, repetindo e imaginando o resultado que quer alcançar. Isso permite que você memorize-as, planeje seu dia em função dos seus objetivos e até mesmo que reescreva algumas das afirmações, para que se mantenham objetivos realistas, dentro dos prazos.

Planejar seu tempo: use data limite, quantifique o que deve aprender e de quanto tempo dispõe, assim poderá distribuir de forma inteligente seu tempo. Se sua meta inclui ler um livro, veja quantas páginas ele tem e em quanto tempo deve lê-lo, assim você terá uma ideia de quantas páginas por dia deverá ler. A constância é importante, é melhor ler 6 páginas por dia por 5 dias do que ler 30 páginas em um dia e ficar 4 à toa, é mais difícil reter as informações assim. Então distribua bem o serviço pelo tempo.

Sugerimos que você tenha um controle do quanto está fazendo por dia, caso algum dia não seja cumprido, deve-se cumprir imediatamente no próximo. Se acumular muito serviço é melhor recalcular o conteúdo pelo tempo, e distribuir esses atrasos em vários dias.

Aprendizado Multi-sensorial

Aprendizado Multi-sensorial

Preocupe-se em associar mais de um sentido durante o aprendizado. Daremos alguns exemplos de cada um:

* Visual: diagramas, gráficos, mapas somente com palavras chave (explicaremos adiante, como se faz um bom mapa).

* Auditivo: ler em voz alta, escutar gravações.

* Físico: escreva, responda questões, use gestos ou caminhe pelo quarto enquanto lê.

Multi-sensorial: leia e visualize, imagine o que você está lendo. Faça um resumo e leia em voz alta enquanto caminha, se desejar pode ler declamando como um poema. Apesar de estranho, esse tipo de comportamento faz com que o cérebro crie associações mais duradouras, exatamente por serem incomuns. Deve-se criar ritmo e às vezes rima na leitura. É aconselhável ter um colega de estudo, assim você usará todas as habilidades naturalmente. Ensinar, inclusive, é uma ótima maneira de aprender. Você só domina um assunto quando é capaz de ensiná-lo a alguém e fazer com que o outro compreenda exatamente como você.

Nunca se esqueça de revisar o conteúdo antes de dormir, primeiro revise mentalmente, tente lembrar de tudo que foi lido com o máximo grau de detalhamento. Assim você perceberá o que deve ser reforçado, logo depois leia o resumo, com ênfase no que menos foi lembrado.